INÍCIO
O INSTITUTO
CURSOS
INDIQUE ESTE SITE
PARCEIROS
FALE CONOSCO
ARTIGOS
 Planejamento e Gestão de Sistemas de Serviços de Saúde 
 
Alterar tamanho da fonte: A+ | a-

Planejamento e Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde


Carmen Teixeira, Ana Luiza Vilasboas
Data: 07 de janeiro de 2004


A prática cotidiana de gestão do Sistema Único de Saúde, em qualquer nível de governo, seja federal, estadual ou municipal, coloca um enorme desafio aos gestores: identificar e selecionar os conhecimentos, métodos, técnicas e instrumentos de trabalho que o ajudem a tomar decisões e a conduzir o processo de implementação das políticas, planos, programas e ações de saúde sob sua responsabilidade. Geralmente sem tempo para pesquisar, o gestor e sua equipe são envolvidos de tal sorte em um emaranhado de informações sobre leis, normas, poetarias, decretos, programas e projetos prioritários, anúncios de novas tecnologias e sistemas de informação, que, por vezes, se sentem como capitães de navios sem rumo definido, sendo conduzidos ao invés de conduzir.


O enfrentamento deste problema exige do gestor e de sua equipe um esforço de apropriação de informações relevantes para a melhoria do desempenho institucional de sua organização, seja o Ministério da Saúde, uma Secretaria estadual ou municipal de saúde, um órgão ou setor de qualquer uma dessas instituições ou até um programa ou serviço necessário à efetivação dos princípios e valores que norteiam a atual política de saúde. O aperfeiçoamento do processo de planejamento e gestão do sistema em todos os níveis demanda, portanto, o acesso a informações de natureza técnico-científica e político-institucional que contribuam para a incorporação de conhecimentos e tecnologias de formulação, implementação e avaliação de políticas, planos, programas, projetos, destinados a intervir sobre o estado de saúde da população e sobre o próprio sistema de serviços de saúde.


Nesse sentido, esta página da BVS-SP traz um conjunto de informações relevantes para os gestores, técnicos e usuários em geral interessados no Planejamento & Gestão em saúde, informações estas organizadas em temas e sub-temas, que dizem respeito aos problemas e desafios atuais do SUS e aos avanços conceituais e metodológicos na área.


P & G de Sistemas e Serviços de Saúde na BVS: temas e sub-temas


Levando em conta os temas abordados nas Conferências Nacionais de Saúde realizadas durante os últimos 10 anos (1992, 1996 e 2000), pode-se identificar como eixos estruturantes da reforma do sistema público de saúde, os seguintes:



  • A descentralização da gestão do SUS, com conseqüente redefinição das funções e competências de cada esfera de governo;
  • O financiamento do setor, incluindo o debate acerca das fontes de recursos e dos mecanismos de transferências intergovernamentais;
  • A mudança dos modelos de atenção à saúde, especialmente as inovações gerenciais necessárias à consolidação de modelos alternativos aos hegemônicos;
  • A implantação dos sistemas de auditoria, controle e avaliação dos serviços de saúde;
  • O aperfeiçoamento dos mecanismos de controle social sobre a gestão do sistema de saúde;
  • O desenvolvimento e gerenciamento de recursos humanos para a gestão e operação do sistema;
  • O gerenciamento de sistemas de informação como suporte ao processo de tomada de decisões em saúde.

Além desses temas e sub-temas que, de uma forma ou de outra já vem sendo colocados na agenda de debates no âmbito do setor, é importante destacar algumas questões de ordem teórico-metodológica cujo desdobramento pode vir a incidir diretamente na forma e no conteúdo das práticas de Planejamento & Gestão do SUS. Algumas dessas questões vem sendo objeto de estudos acadêmicos e de experimentação tecnológica em processos de cooperação técnica interinstitucional entre academia e serviços, a saber:



  • Metodologias de formulação de políticas, planos, programas e projetos em saúde: existem diversas abordagens teórico-metodológicas nesta área desde o método CENDES - OPS (1965) à proposta de Formulação de políticas elaborado pelo CPPS (1975) e os desdobramentos do enfoque estratégico-situacional em planejamento de saúde (Matus, 1993; Testa, 1992) e, mais recentemente, enfoques de Gestão Hospitalar, a partir da perspectiva da integralidade, visando inserir o hospital na Rede (Rivera, 1998 e Artmann, 2002) 
  • Métodos, técnicas e instrumentos para a identificação de necessidades e análise da situação de saúde: embora possa ser compreendido como um momento do processo de formulação de políticas, a análise da situação de saúde contempla noções, conceitos, métodos e técnicas específicos oriundos de diversas disciplinas correlatas ao P&G, como a Demografia, Geografia, Epidemiologia, Antropologia, Economia, etc. gerando propostas metodológicas que enriquecem o processo de planejamento e programação especialmente ao nível local (Sá e Artmann, 1994; Teixeira, 1993; Cecílio, 1997).
  • Determinação de prioridades em saúde: também parte do processo decisório, a determinação de prioridades demanda o uso de métodos e técnicas específicas cujo desenvolvimento vem ocorrendo em vários países (Daveluy e Pineault, 1987), sem que tenha sido incorporado extensivamente pelo setor saúde brasileiro.
  • Métodos e técnicas de programação das necessidades e da oferta de ações e serviços em saúde. Embora, faça parte do processo de formulação de políticas, planos, programas e projetos, vale destacar o aporte metodológico disponível para o dimensionamento de ações e serviços em saúde individuais e coletivas, mediante o cotejamento da relação necessidades/capacidade de oferta. (Schraiber, 1990; 1999; Testa, 1995)
  • Métodos e técnicas para a construção de viabilidade das propostas de políticas, o que inclui técnicas de elaboração de cenários, mapeamento de atores políticos em saúde, técnicas de negociação e gerenciamento de conflitos (Matus, 1993; Testa, 1992; OPS, 1994).
  • Papel do gestor enquanto dirigente e líder: considerando a necessidade de formação e capacitação dos quadros dirigentes em todo o sistema público de saúde é importante disponibilizar aos gestores bibliografia básica sobre as possibilidades de fortalecimento da sua capacidade de governo, o que inclui sua formação como líder e a apropriação de conhecimentos acerca das mudanças necessárias nos sistemas de trabalho e no desenho organizativo das instituições sob seu comando (Matus, 2000).

Leia mais...



SOBRE O PROJETO INFORMAÇÃO PARA TOMADORES DE DECISÃO EM SAÚDE PÚBLICA


http://itd.bvs.br/itd-mod/public/scripts/php/page_show_managementSpace.php?lang=pt

 

 Saúde no Brasil 
 
 

 Artigos 
 
 

 Clientes 
 
Login:
Senha: 
Esqueceu a Senha ?
 

 LINKS DE SAÚDE 
 
 

 Informações 
 
Desejo receber informações e novidades por e-mail.
Nome:
Email:
 

Copyright © 2014 Instituto Brasileiro de Saúde. Todos os direitos reservados.
Website desenvolvido com tecnologia Super Modular